quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Belo Horizonte: tão longe do mar, tão perto do céu!

“Meu Brasil é tão bonito
Do Rio Grande ao Maranhão
Conheci, me apaixonei
Por isso eu me tornei
Mineira de coração”



O ser humano menos folião que existe no mundo poderia até olhar com surpresa se soubesse que uma carioca resolveu passar o carnaval na capital mineira. Não é de se espantar: em plena segunda-feira do feriado mais esperado no Rio de Janeiro, onde provavelmente as ruas deveriam estar intransponíveis, BH caminhava a passos lentos e lotava sessões de cinema. E foi assistindo “O Curioso caso de Benjamin Button” (The Curious Case of Benjamin Button), que percebi que a cidade não estava tão vazia quanto eu imaginava. Coisa de mineiro isso de freqüentar cinema enquanto as pessoas sambam Brasil afora.

Belo Horizonte. Com todo o sotaque e cultura carioca impregnado na minha vida, senti-me envergonhada diante de tanta mineirice. Acordar de manhã cedo e tomar um café da manhã mineiro, com direito a pão de queijo com queijo! Broa de milho, de fubá, doce de leite e cheirinho de milho cozido no ar.

Minas Gerais tem um aroma doce em suas ruas. Passar um dia inteiro na Feira de Artesanato da Afonso Pena e não conseguir ver nem a metade de todas aquelas barracas infestadas de artistas anônimos que, com suas mãos, realizam trabalhos magníficos, não tem preço. Comprar queijos, lingüiças e carne-de-sol no Mercado Central. Almoçar o tradicional feijão tropeiro, caminhar no Parque Municipal, tomar água de coco sentada na beira da Lagoa da Pampulha, admirar o pôr-do-dol na Praça do Papa, emocionar-se com a visão da Serra do Curral.

Caminhar no Parque das Mangabeiras, encantar-se com a história na Praça da Liberdade, visitar exposições no Palácio das Artes, voltar a ser criança em parques que relembram os tempos do antigo Tivolli, lá nos idos dos anos oitenta. Curtir o final de noite refrescante sentada na Praça Raul Soares.

Belo Horizonte não poderia ter um nome melhor. Cercada de belas paisagens naturais, posso sentir até uma certa pena de nós, cariocas, que nos vangloriamos por acharmos que ter um Cristo Redentor e tantas praias é tudo o que uma pessoa pode desejar. Aí chega a hora de voltar para o Rio de Janeiro. A triste hora! E me criticam: Minas Gerais não tem mar. E eu retruco com um trecho da canção de César Menotti e Fabiano: Pro mineiro tanto faz, se Minas não tem mar, o mar não tem Minas Gerais!

11 comentários:

Marton Olympio disse...

Obrigado pelo comentário gentil no meu blog.
Também tenho um amor por Minas (não, não trocaria o Rio por lugar nenhum, talvez por Nova Iorque ou Madri) mas por motivos diferentes.
Três dos caras que me fizeram escrever vieram daí.
O Sabino, o Braga e o Drummond.

Na verdade já morei em várias partes do Brasil, e estive em outras por conta da profissão (sou cineasta).
E acho que para superar o Rio só Floripa ou Campo Grande. Ah, Curitiba também já foi uma pedidada boa, mas não soube crescer.

No mais é isso.
Parabéns pelo Blog.
Você escreve muito bem.

Ah, e se quiser ler um conto sobre carnaval, leia aqui ó:

http://martonolympio.blogspot.com/2008/10/primeira-vez-ningum-esquece.html

Com este conto fui um dos finalistas no concurso contos do Rio do O Globo.
Um cara que não gosta de carnaval falando do mesmo. (rs)

beijos se for de beijos.
abraços se for de abraços.

Acredite nos feitiços da vida ! disse...

Nossa pelo jeito com que vc descreveu minas deve ser um lugar maravilhoso mesmo
Não troco o Sul por nada mais minas realmente deve ter um encanto indescritivel !
bjÔ

Acredite nos feitiços da vida ! disse...

Bom eu não troco o sul por nada
mais com o jeito q tu descreveste minas imagino q tenha mesmo uma beleza inigualavel
e acho q fizestes muito bem em dar uma fugidinha da folia do carnaval para apreciar a beleza de la
bjÔ

VeVe e Markus disse...

^^
Concordo plenamente!! Nem conheço minas ainda, mas só pelo amor q meu marido tem por esse estado ele jah empregnou meu coração!
por isso vamos nos mudar pra lah, final do ano!
bjuxxxx!!

http://veve.blogfatal.com

Nat Valarini disse...

Boa tarde!

Não, eu não me surpreendo. Cada dia que pasa eu encontro novas pessoas que não são adeptas da folia de carnaval (eu mesma, sou uma delas!).

Achei a postagem leve e gostosa e achei muito legal da sua parte compartilhar essa experiência com seus leitores.

Eu, ainda, não conheço BH, mas espero ir até lá ver de perto tudo o que esta terra tem de melhor.

Kiso

http://garotapendurada.blogspot.com/

M. disse...

Tb sou carioca da gema que já saiu da casca, e mesmo não trocando o carnaval de Salvador por nada, confesso que amei a tua programação. srsr

Tb assisti o Curioso Caso de Benjamin, mas em casa (baixei da net) e logo depois de ter pulado atrás do trio. rs

Bjossssssssssss!!!

KGeo disse...

eu gosteo do filme o curioso caso de benjamin button

Fer. disse...

menina, você diz que o rio para no carnaval, imagina só recife/olinda, como aqui é carnaval de rua o ano nem chega a coemçar =T
mas enfim...
eu tratei de me enfiar na casa de um amigo, fazer farrinhas dentro de casa, ver filmes, ler um livrinho e ficar com a namorada.
eu realmente acho bem mais sucesso do que está pulando por aí e beijando sabe-se lá quem!


(gostei muito do seu blog, passarei sempre por aqui, dona moça!
minha namorada é carioca e vive falando muito do rio, bom conversar com outras pessoas daí também.
quanto ao que escrevo, sei...porcaria, mas escrever limpa a alma e com o tempo eu tento melhorar, brigada mesmo assim.

Beijos, mocinha.)

Mr. Ziggy disse...

Gostei dessa sua fala sobre BH/MG. Sou mineiro e concordo plenamente com o que disse. E realmente é de se estranhar um carioca vir a BH em pleno carnaval, porque a cidade praticamente "morre". Huhauahauahau! Bjo.

Teresa disse...

eu queria irrrrrrrrrrrrrrrr

poxaaaaaaa

=)

Adriano Ferreira, CM disse...

maraviloso post. eu que sou mineiro, belorizontino, exilado no rio de janeiro, fico emocionado só de ouvir falar na serra do curral...

obrigado pelo simpatico comentário no meu blog. banquete dos mendigos é o nome de um disco dos stones, "beggar's banquet"... escolhi este nome por acreditar que todos somos mendigos em algo na vida, todos somos pedintes daquilo que nos falta.

adorei a geringonça aqui, vou linkar, pra não perder o costume de visitar. abraço.