quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Humanamáquina


Quando sua memória demonstra um prazo de eficiência não superior a 30 segundos, seu cérebro não mais concatena as idéias, quando sua inspiração acaba e você se distrai até com uma poeirinha bailando no ar, quando o maldito tic-tac do relógio e um mosquitinho voando perto do seu nariz consegue te deixar muito puta, quando você só pensa em dormir e tomar um banho "dotosinho", acreditem: seu prazo de validade diário já venceu e é hora de parar agora. Eu disse AGORA!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Das coisas absurdas...

Quando a sua cadela senta no sofá mais confortável da casa e não levanta nem com a ameaça de sentar-se em cima dela, tampouco com chantagem emocional e alimentar, simplesmente por que aprendeu a diferenciar verdades e mentiras, ferrou! Você perdeu totalmente a moral dentro da família...

E ela ainda te olhará com a cara mais lavada do mundo.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Sorvete Colorê

Toda infância teve um parque de diversões. Posso dizer então que fui privilegiada, pois na minha tiveram dois: o famoso Tivoli Park, de Orlando Orfei, situado na Lagoa, Zona Sul do Rio de Janeiro e o pequeno Shangai, na Penha. Minhas lembranças mais remotas de tobogãs, grandes brinquedos coloridos, com luzes e movimentos renascem dos passeios feitos nesses lugares, quando ainda era bem pequena. Eu gostava particularmente dos carrinhos bate-bate, do carrossel e tinha um pavor horroroso da Conga, a Mulher-Gorila. E é claro que também tinha muito marmanjo correndo feito louco na hora do “Calma Konga!!! Volte Konga!!!”. Meses atrás tive a oportunidade de conhecer uma nova versão da Conga, chamada Monga, no Parque Guanabara, em Belo Horizonte. Pude então reviver a emoção infantil que eu sentia. Alguns brinquedos eram famosos no Tivoli, como o Bicho da Seda (ou Amor Express), o Trem Fantasma, a Roda Panorâmica, o Chapéu Mexicano e o Rotor. Infelizmente o Tivoli passou por uma fase sombria que envolveu um estupro na “Casa das Bruxas” e um acidente na “Gaiola das Loucas”, comprometendo a credibilidade do parque. Em 1995, o então prefeito do Rio, César Maia, ordenou o fechamento do local. Acabavam ali 23 anos de maravilhosas tardes de fim de semana que tinham sempre diversão garantida. Atualmente, podemos contar apenas com o Terra Encantada, parque de diversões que prometeu sucesso na sua inauguração, há alguns poucos anos, mas que hoje jaz quase esquecido na Barra da Tijuca, sem quase nenhum movimento e que passou por uma fase parecida com o parque de Orlando Orfei: abriu seus portões durante a noite para festas e, inclusive, bailes funks. Sinto falta de um espaço seguro onde as crianças passem as tardes se divertindo, onde tenha o inesquecível Festival do Sorvetão. A última vez que estive no Shangai, os brinquedos pareciam sucatas. E o Tivoli está apenas em minhas lembranças e na memória de uma geração que nunca o esquecerá.

domingo, 25 de outubro de 2009

Das Coisas que é preciso fazer despretensiosamente


Acordar cedo num dia de domingo e espiar o nascer do sol. Viajar para aquele lugar menos requisitado. Ler um livro que não está na lista de best-sellers do New York Times. Correr em frente à praia ou, se não tem praia, correr no campo, no asfalto, no centro da cidade, apenas correr e liberar energia do corpo. Mudar os móveis da casa de lugar. Mudar-se de lugar. Acender uma velinha para o anjo da guarda, quem vai dizer que um pouquinho de fé não é bom? Parar e dar atenção a um cachorrinho de rua. Gritar bem alto quando seu time fizer gol (para quê conter as emoções?). Beijar alguém que acabou de conhecer (de vez em quando por que não?). Se quiser transar, transe também (mas use camisinha!). Caso coma um salgadinho no lugar do almoço não se reprima: eles não fazem tão mal assim. Brinque com uma criança e como uma criança. Converse com um idoso. Brigue com alguém se achar necessário; não guarde nada dentro de você. Pare e admire uma paisagem, faça um esporte, encare aventuras. Escreva um diário para sentir saudades. E as sinta intensamente. Sente no chão, ande de meias, não se preocupe em sujar roupas novas. Sorria e abra portas. Assista ao pôr-do-sol, nem que seja da janela da sua casa. Tire muitas fotografias ao longo da vida, inclusive de cenas banais (elas são as melhores). Ria da sua sorte e da sua falta de sorte. Chore ouvindo uma música ou um filme triste. E, principalmente, sempre que puder... morra de amor.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

A Favor do Vento

Eu queria ter aprendido a soltar pipa, nunca consegui. Hoje, ainda sem entender a fácil aerodinâmica da pipa, já andei em grandes e pequenos aviões. Passarinhos que não sabem bater asas, como dizem. Lá entre as nuvens do céu vendo a Terra, percebi como é grande a nossa ignorância, como a vida é mesquinha. A gente vive aqui no bagaço enquanto lá em cima todo aquele espaço...

"Uma vez que você prove o voo, nunca mais você caminhará sobre a terra sem olhar para os céus, pois você já esteve lá."
Leonardo DaVinci


Dia 23 de Outubro: Dia do Aviador