sábado, 24 de janeiro de 2009

É bom ser criança enquanto puder...

E de repente viu-se diante de um grande portal. No princípio, a curiosidade era tão grande que não importava bem a grandiosidade daqueles portões; era preciso saber o que de surpreendente poderia existir do outro lado. E assim chegou ao Caminho do Mundo. Logo, deu de cara com casas que lembravam a arquitetura de muitos lugares que já havia visto em alguns livros.

Que estranho era tudo aquilo! Mas também que magnífico! Uma espécie de balão parou à sua frente e a levou para bem alto. Lá de cima pôde ver que nem tudo era tão esplêndido assim... Desceu do balão e viu-se diante de uma enorme e assustadora catacumba.

Enquanto recuava, esbarrou com uma espantosa múmia que dormia profundamente o sono dos mortos. Ufa, olhando bem não dava tanto medo assim, mas... Para quê foi abrir a boca! As portas daquela gigantesca catacumba abriram-se e de dentro dela saíram as mais terríveis e medonhas criaturas que fugiam de um arqueólogo ensangüentado. Um faraó e uma rainha egípcia também apareceram e vinham ao seu encontro. Pôs-se a correr sem rumo de tal forma que foi parar dentro de uma pirâmide escura. Mas o que é isso? Tem algo se mexendo debaixo dela! E esse barulho? Parecem... trilhos!

E no meio da escuridão era conduzida dentro de algo que se movia e girava em torno do seu próprio eixo. Durante alguns minutos não sabia onde estava e quando finalmente foi lançada fora dali, descobriu-se em pleno faroeste... dentro de uma balsa, atravessando um Rio Bravo! Após sobreviver a mais essa façanha, percebeu que para voltar aos imensos portões, teria que se aventurar um pouco mais.

Foi preciso pilotar carros em alta velocidade, atravessar lagoas pendurada em uma fina corda, andar em naves espaciais e estabelecer íntimos contatos com os personagens da Vila Sésamo que a ajudaram a chegar de onde viera. Finalmente a aventura estava desvendada. Ela simplesmente tinha voltado a ser criança. Ela simplesmente passou um dia inteiro num país chamado Hopi Hari.Fica a dica para o final das férias e até mesmo carnaval: quem ainda não conheceu o "Imigradero" de Hopi Hari em Campinas/SP, faça! O passeio é inesquecível!



9 comentários:

AYLA disse...

REALMENTE A GENTE CHEGA NO HOPI HARI DÁ ATÉ UMA CERTA EMOÇÃO UM FRIOZINHA NA BARRIGA SÓ EM VER TOODOS AQUELES BRINQUEDOS !!!!

Léo disse...

HOPI HARi é tudo de bom, mas adorei o que vc escreveu no seu perfil hahahaha bem legal

beijos

Sampaiorama disse...

Pow, queria mt ir nesse parque, por aki no rio num tem nada de mt bom quanto a isso.

Julio disse...

Muito legal o texto.
Hopi Hari é uma outra dimensão né!
Fui uma vez pra lá e me diverti muito!
Obrigado pelo comentario no Oitentando.
Concordo contudo que você disse!
Beijos!

Móó legal disse...

é bacana ser criança mesmo...
pena que so percebemos isso qndo ja somos adultos!
auehuHEUahuahHahuaheuahEUHAUEHUAheuhae
o ser humano é por natureza insatisfeito

Casa do Besouro disse...

Interessante seu blog
parabens

www.casadobesouro.blogspot.com

Leire disse...

hahaha
Que legal! Você criou uma história super fantasiosa acerca do passeio no Hopi Hari!

Eu já fui e foi maravilhoso! Vale a pena mesmo!

Beijo!

Petite Femme disse...

aqui no interior da roça não tem Hopi Hari... mas, mesmo assim, dá para voltar a ser criança em alguns momentos. e como é bom ser criança, só pensar em se divertir e, pelo menos por alguns instantes, esquecer as preocupações de quem já virou gente grande.

bjs

Teresa disse...

ainnnnnnn
que lugar mais legaaaaaaaallllll

eu queria irrrrrrrr

=)