sábado, 3 de janeiro de 2009

A vida ao lado do pior cão do mundo


Nessa primeira semana de 2009, assisti ao primeiro filme do ano: Marley & Eu, longa adaptado do livro de John Grogan. Nunca tive boas impressões de adaptações literárias e a coisa se complicou muito depois de filmes como O Código DaVinci. Entretanto, como poucos livros conseguem me emocionar profundamente, resolvi que seria um bom momento para deixar minha aversão a esse tipo de filme de lado e assistir a versão cinematográfica do pior cão do mundo.

Depois de alguns muitos meses sem aparecer em cinemas, deparei-me com novidades no modo de comprar ingressos - totalmente virtual - e absolutamente prático. Mas, mesmo com toda praticidade eu me enrolei. E me atrasei para o filme. E atrasei toda a fila atrás de mim. Comprei um "combo" gigantesco de pipocas cujo qual eu nem sabia por onde começar a segurar ou, onde pôr para abaixar meu assento e enfim, começar a assistir o filme.

Tenho uma Beagle. Ela sempre foi a pior cadela do mundo , a pior raça do mundo até eu conhecer a história de Marley e os Labradores. Se tudo aquilo o que eu vi foi mesmo real, tenho certeza que com a venda dos livros e o sucesso de bilheteria, John Grogan já recuperou com um lucro extraordinário todos os estragos feitos pelo seu cão dentro de casa.

Grande parte de Marley & Eu é bastante cômica. Cenas hilárias e diálogos divertidos compõem mais da metade do filme. Não me lembro de me divertir assim em cinema há muito tempo. Porém, em determinado momento do filme, as risadas cessam e cedem lugar a pequenos soluços ouvidos de diversas direções da sala de exibição. Eu também chorei e poucos filmes conseguem me arrancar lágrimas dessa forma.

A pretensão aqui não é fazer nenhuma espécie de crítica do filme, pois nem tenho conhecimento para isso. Assistir ao Marley & Eu foi uma experiência encantadora e minha impressão pessoal, como leiga, foi maravilhosa. O filme não é uma cópia fiel do livro, mas chegou bem próximo disso e conseguiu me fazer acreditar que pagar dezoito reais* para assistir uma sessão pode até valer pena. Às vezes ! Só não foi legal ouvir que os Beagles fogem de casa quando pressentem a morte. Vou ficar de olho na minha !



* O cinema está mesmo caro assim no Rio de Janeiro e estão querendo acabar com a meia entrada dos estudantes. Recebi um protesto em forma de panfleto na porta do Shopping em que assisti Marley & Eu e constava o endereço de blog cujo qual prometi divulgar: Meia Entrada Sim. Eu já não pago mais meio ingresso, mas já fui estudante um dia ! Está feita a divulgação!

8 comentários:

Dinah Cardozo disse...

É, de fato o filme tem esses extremos. E também tenho uma certa resistência à adaptações para o cinema,mas já tive boas surpresas.

Acho que o filme é mais interessante para aqueles que amam animais. Você não acha?

Até mais.

Daniel Moraes disse...

"o blog é legal " =P

brincadeira, é uma merda XDDDD
zuera!!!!!! XDDDDD


bem, eu pretendo assistir esse filme. ainda mais depois de tudo que você falou, se for bom eu pretendo lê o livro tbm ^^

historiaspraboidormir disse...

eita!
meia entrada sim, com ctz...
realmente o codigo da vinci naum foi bem adaptado...
mas o "a espera de um milagre" ficou muito boa...
naum tenho a msm a versão q o autor...

Joo'p disse...

Nossa confesso que fiquei morrendo de vontade não só de ler o livro mais de ver o filme tbm,
e eu axei o blg muito bom ;D

Juh disse...

Amei o livro,e espero gostar do filme! vi os trilers e espoquei de tanto rir \o/
bjoss

Fala disse...

FALA COMIGO COMO A CHUVA
Data: 23, 24 e 25/01/2009
Local: Odeon Espaço Cultural

Caroline Bigarel disse...

/\
||
||
aff...

Bobagem com Mouse disse...

Ainda não li e não assisti ao filme.
Gostei do post,quero ler!