segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Independência ou Morte

Eu, minha irmã e minha sobrinha-afilhada, na Av. Newton Prado, Pirassununga/SP, representando a Academia da Força Aérea

Para muitos brasileiros, Sete de setembro é um dia comum, para outros, apenas um feriado prolongado, usado muitas vezes como pretexto de viagens e muito descanso. Outros se lembram da grandiosidade da data e de toda sua história. Entretanto, há aqueles brasileiros que todos os anos, neste dia 7, levantam bem cedo, engomam suas fardas e, com imenso orgulho no peito, abraçam a Pátria, desfilam com garbo, exibindo tantas emoções e conquistas no peito em forma de medalhas. Nós conhecemos esses brasileiros, eles são chamados de militares.

Hoje desfilei pela quinta vez no Dia da Independência. Foram três vezes por escola militar no Rio de Janeiro, uma em Guaratinguetá e, finalmente, porém não a última cidade, em Pirassununga. Como militar, representar a Força Aérea me traz imenso orgulho. E, como brasileira, representar a carreira que visa, primordialmente, à defesa da nação, não tem preço que pague. Não há nada melhor do que realizar um trabalho que é motivo de orgulho para tanta gente, inspiração de muitas crianças que tentam imitar o passo cadenciado dos soldados, sonho de tantos jovens que, anualmente, prestam o difícil processo seletivo para as Forças Armadas.

É por essas e outras que agradeço a Deus, diariamente, por saber que minha pele é, também, azul.

2 comentários:

Inez disse...

Caroline
Adorei seu post, hoje de fato é um dia muito importante da nossa história.
Sempre gostei muito dos desfiles militares, me emociona demais ver ali esses brasileiros nos representando.

Lucas disse...

Realmente muitos não dão o devido mérito à Independência.
Esta é uma data muito importante.
E deve ser reconhecida como tal.
O fato é que as pessoas amam dar outros sentidos para as datas... o Natal é um exemplo.