terça-feira, 26 de junho de 2007

Quartel Geral

Existe uma grande diferença quando falamos de cidade grande e cidade de interior que vai muito além do tamanho, da quantidade populacional ou até mesmo das belezas encontradas. Percebo por exemplo, como somos tão medíocres ao pensar que os pontos turísticos mais belos encontram-se em grandes metrópoles, onde se localizam verdadeiros monumentos ditos conhecidos em todo o mundo. Eu dispenso. Prefiro a beleza de uma cidade pequena. Nem precisa ir muito longe para descobrir verdadeiros paraísos por esse Brasil afora. Minas é um exemplo. Ontem estava vendo uma reportagem sobre uma cidade mineira chamada Quartel Geral (não é General!). Curiosa não só no nome, que já vem carregado de história, de uma época onde os diamentes eram descobertos e garimpados nas regiões mineiras, Quartel Geral reserva um cuidado natural que encanta pela humildade.

Regada pelo cuidado dos própios habitantes, que não chega aos quatro mil, Quartel Geral fica no centro-oeste de Minas Gerais e possui uma lagoa natural de 4km2 que atrai os visitantes da região. Agora veja bem aonde quero chegar: lagoas limpas, onde podemos ver crianças dando mergulhos, não é exatamente a espécie de lagoas que encontramos nas grandes cidades. Pontes então passa a ser a maior ironia, quando sabemos que em qualquer lugar do mundo, uma ponte é razão de ponto turístico, exceto no Brasil, onde ponte é sinônimo de horror, sinônimo de morada aos que não tem teto e perigo à noite para os motoristas.

Sempre que assisto alguma matéria de divulgação cultural de pequenas cidades, fico me lamentando ao perceber que nós, que residimos em grandes capitais, não temos o menor cuidado em preservar o ambiente que usufruímos para viver, o mesmo ambiente que servirá para as gerações futuras oriundas de nós mesmos.

Sei que isso é um assunto pra lá de batido, uma coisa que já estamos carecas de saber, mas é por essas e outras que detesto aquele sensacionalismo todo em cima da população carente que perdem suas casas em torrenciais enchentes de sujeiras ou até mesmo dessa polêmica toda acerca do futuro ambiental do planeta. Afinal, todos acham mais fácil despejar o lixo no rio mais próximo (vide Tietê e demais "primos"), no valão da esquina ou no lixão lá do terreno baldio. E são essas paisagens que iremos apresentar aos turistas nessa chegada do PAN, pelo menos aqui no Rio de Janeiro, moldados por uma falsa beleza dos cartões-postais, quando toda a cidade disputa há muito tempo modalidades dignas de PAN, como "tiro ao alvo" e quem sabe "assalto à distância".

Viva às cidades do interior e a tranquilidade de ainda poder dormir de janelas abertas, de poder tomar banho de rio e andar sem medo à noite pelas ruas, até que as descubram, algum dia.

26 comentários:

Nanda Belém disse...

Oiiiii

Caramba... adorei o seu texto e concordo com tudoooooo o que vc disse. Penso da mesma forma, não vejo mais graça nenhuma nessas cidades grandes! Pra que conhecer São Paulo? Fugir do Rio e ir para um outro lugar tão violento quanto e ainda por cima sem praia?!
Essas cidade do interior, além da beleza, ainda tem todas aquelas pessoas humildes, sem arrogancia, e muitas vezes puras, completamente diferente do que encontramos por aqui!
BElo texto! Vou ler os outros... vi o seu blog no orkut!
beijos

Anônimo disse...

Putz bem interessante!!!
blog bem feito viu? parabéns
qualquer coisa visite o meu
http:sacochei.blogspot.com
valeu

Slim Shady disse...

belo post,belo texto.Aliás , belo blog,muito interessante mesmo,parabéns.

x)

Abraço.

Mariliza Silva disse...

Linda,
Esta cidade, Quartel Geral, é próxima da cidade do meu pai, Dores do Indaiá. Você precisa ver as histórias de lá. A cidade parece que tem uma rua só. Eu e Gabrielle uma vez fomos com meu pai em Dores. Pegamos no início da cidade um sorvete, andamos na rua tomando o sorvete até o fim dela, que coincidentemente era o fim da cidade e não apareceu uma alma viva!! Tudo bem que era feriado, mas foi incrivel!

Precisamos de vez em quando, passar algumas horas em lugares assim para renovar nossa cabeça! É maravilhoso e ainda bem que existe lugar assim. Não sei se os que moram lá gostam, mas pra gente é um bálsamo.

Beijão e some não!

Mariliza
tempodesaturno.blogspot.com

Pa[†φ] BEiJo disse...

haha s� pra vc ficar com uma invejinha eu moro em uma cidade q � proxima de s�o paulo mas � considerada como interior....haha muito bom aqui...vc pode andar tra\nquilamente na rua, conhecer todos os vizinhos, festas de rua e v�rias coisas legais q muitas pessoas q moram aqui n�o d�o valor...eu amo isso auqi e n�o troco por uma cpaital de forma alguma, a menos q seja pra trabalhar...mas ai os finais de semana passaria aqui msm...

bjus
se cuida^^
dorei o post

Pa[†φ] BEiJo disse...

ah e curiosidade...como eu faço pra mudar a cor dessas laterais do blog? meu template é como o seu mas nom sei tirar aquiele rosa de la...tem como ou cada um é assim msm?

Alf. disse...

auhauahauh confesso que li "Quartel General" ueheueheu...

bom, achei ótimo esse texto, inclusive "caiu" muito bem sobre algumas questões que eu estava "levantando" comigo mesmo... muito bom... E sim; o campo tem uma paisagem muito privilegiada que é uma paisagem meio que desabitada, onde o homem ainda não tocou... é muito bonito... agora eu aprecio muito a paisagem "corriqueira" da cidade... acho muito bonito mesmo e legal de você observar... Eu vou vê se posto umas fotos la no blog.

sendo que não é daqui do Brasil ueheuheue...

bjo;*

Pa[†φ] BEiJo disse...

haha vlw o comentário

bjus
se cuida

Edson Marques disse...

Me deu vontade de conhecer Quartel Geral.

Quem sabe, um dia...





Abraços, flores, estrelas...

Nilza disse...

Oi, menina!

Estou meio sumida , mas não esqueci de vc. Tem algo em meu blog pra vc , vá buscar ok?

Beijos

Ataualpa S.Pereira disse...

Interessante sua dissertação. Há muito pouco tempo regressei do meu Fugere Urben. Enquanto estive no interior, num ambiente tranquilo e parcimonioso, tornei-me mais otimista. Mesmo na poesia. Volto para uma metrópole e sinto ânsias na poesia novamente.

Minha família ta lá, vivendo de frente para um belo rio. Mas mesmo lá a monocultura começa a mostrar suas garras...

Um abraço!

Nilza disse...

Oieeeeeeeeeeee..kd vc? Vai buscar seu presente!!

jennifer disse...

concordo perfeitamente moro em uma cidade no estado da paraiba o nome dela e Campina Grande e ela e muito mais bela q muitas cidades que não saem da televisão...
mudando de assunto se vc gosta de poesia visite o meu fotolog www.fotolog.com/jgsx

B. disse...

Não sei... algo no interior me incomoda um pouco. Pelo menos, nos que conheço. Tudo anda muito tedioso pro meu gosto.

Eca.


Bisous.

oextase disse...

Enqto treinadores do assalto a distancia vivem em brasília, por aki ficamos a merce de hipocritas falantes q buscam em idéias enganosas levar o povo a crer q são verdadeiros. Pelo tampo q rola no alemão esse roça-roça, já se busco no dicionário o significado de "tropa de elite". Isso vai acabar em pizza. O interior é bom mas é limitado em recursos . A imigração pode trazer sucesso, tecnologia, mão de obra, mas traz o inferno da diferença e do desrespeito. Sua matéria está dez..Parabéns.

Cadinho RoCo disse...

Enquanto mineiro já agradeço pelo carinho dispensado ao nosso interior que é mesmo rico em hospitalidade e brejeirices outras.
Cadinho RoCo

, disse...

concordo com você...
pra dizer a verdade eu sou meio "do mato" não gosto de predios, industrias, sei lá... minha cidade nem é muito grande.. mas eu queria que ela fosse bem pequenininha calmaa... a nature za é bela, e a beleza não está nos monumentos, está na natureza

Bruno disse...

Nossa, muito legal seu ponto de vista. Realmente, as diferenças vão muito além de números disso ou daquilo, é questão de qualidade de vida mesmo.

Milena Almeida disse...

Visitar cidade do interior é como estar em outro mundo. Curioso como em um mesmo estado existem cenários tão díspares.

Beijão!

karine disse...

ola...
vc n deve se lembrar de mim afinal jah faz uns 3 anos que eu visitava teu blog que na epoca era no weblogger (eximio causador de erros) ... E so semana passada decidi voltar a minha rotina de pseudoescritora. Entao visitando meu antigo blog pensei: quem sera que continua com blog da minha lista de amigos?
e fiquei feliz por saber q vc continua ativa =] afinal sempre gostei dos teus textos!! ^^
E terminando as apresentacoes, soh me resta dizer que concordo 100% com teu ponto de vista, afinal as grandes belezas estao nos lugares mais inesperados.... Adoro conhecer lagos e rios escondidos que sempre sao muito bonitos, e tem o fato de q como ninguem vai vc acaba com o lugar soh pra vc e outros poucos exploradores... =]
Se nao fosse o fato de q as vezes devido ao pouco valor que dao, algumas das mais belas paisagens sao destruidas eu nao me importaria q continuasse assim, pois com menor numero de pessoas mais preservado fica o local!

Bom reencontrar esse blog...
see ya!!!

Anônimo disse...

Carol, querida, onde estão os textos novos?

(Café Solúvel)

dea disse...

olha, eu penso tanto nisso, que às vezes acabo ficando preocupada de verdade e me sentindo a merda que escorreu pelo corredor da moradora do segundo andar. a gente vive em efeito dominó. e eu tenho muito medo de onde isso vai dar!

posta, Carol!

até mais ler.

Anônimo disse...

OLÁ,RESIDO EM QUARTEL GERAL,UMA CIDADE DE PESSOAS ESTROVERTIDAS,SINSERAS,TRABALHADORAS,ETC.DE PONTOS TURISTICOS COMO A LAGOA E CASAS ANTIGAS, DE FESTAS COMO DO DIVINO E DO ROSÁRIO,EMFIM CHEIA DE BELEZAS...
"DISPENSO CRÍTICAS DESCONSTRUTIVAS A RESPEITO DE QUARTEL GERAL".

Edson Caetano de Faria disse...

Olá, Carol.
Sou Natural da Cidade de Quartel Geral, lugar pacato, de um povo humilde e hospitaleiro,cidade cheia de belezas naturais. um abraço!

Maurilio disse...

Oi, Carol, tenho alguns conhecidos aí no Rio, que nas férias escolares viam aqui para Quartel Geral. Com certeza eles devem ter saudades de quando brincávamos, tranquilamente aqui. Gostei muito. Parabéns

Cida disse...

FICO FELIZ EM SABER Q EXISTEM PESSOAS COMO VC Q DA VALOR AS PEQUENAS COISAS. MAS NOSSA LAGOA ESTA ACABANDO POR FALTA DE CUIDADOS,PRECISAMOS DE PROJETOS P RESOLVER O PROBLEMA DA NOSSA LAGOA.