segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Repost: Quando Eu Voltar a Ser Criança *

Aquela noite parecia mais longa que o habitual, onde o cansaço de um dia amargo de trabalho não lhe permitia pregar os olhos por mais do que dez minutos. Foi num desses intervalos entre o dormir e o acordar, com extrema sonolência, que viu um homenzinho do tamanho do seu dedo polegar, sentado sobre o seu travesseiro, iluminando seus olhos com uma minúscula lanterna. Pigarreava entre uma e outra saboreada no cachimbo que conduzia no canto da boca. Cruzava e descruzava as pernas com freqüência. Chegou a acreditar que finalmente dormira e aquilo não passava de um sonho, mas o homenzinho minúsculo levantou-se e cutucou-o com umas batidinhas impetuosas na testa.

- Vamos! Não tenho muito tempo aqui. Você me chamou e agora tenho que lhe conceder um pedido.


Esfregando os olhos com ímpeto, custava a acreditar naquilo o que estava vendo.

- Eu te chamei? Mas... Eu nem sequer acredito em duendes ou... Sei lá, o que você é? Um duende, não é? Eu não chamei duende algum e amanhã vou pedir ao meu médico para trocar meus remédios, eles não estão me fazendo bem mesmo.

E o homenzinho batendo impacientemente os pés sobre o travesseiro, berrava para que pudesse ser ouvido:

- Chamou sim! Chamou com um suspiro de saudade. Então, eu vim. E não disponho de tempo, repito. Peça o que quiser. Tente acreditar, não vai lhe custar.

Sem muitas forças para qualquer outra reação e quase se rendendo ao sono que chegava mansamente, arriscou, num tênue sussurro:

- Quero voltar a ser criança...

O homenzinho agitado usava um gorrinho vermelho e abriu um sorriso largo quando começou a saltitar, de tal forma que nuvenzinhas de poeira começaram a aparecer a sua volta e em todo o quarto.

- Eu sabia! É sempre o mesmo suspiro de saudade que todos têm. Eu sabia! Mas não se esqueça... Eu volto com um suspiro de medo.

- Quando eu voltar a ser criança... não haverá espaço para desesperos e preocupações, medos e... Saudade... Saudade do quê.?

- Você se lembrará que já foi adulto para que possa compreender a natureza do seu pedido. Não se esqueça... Não é apenas porque será criança que tudo parecerá mais fácil. Tenho um recado para você, homem grande: quando nos tornamos adultos, somos quase incapazes de entender o que se passa com as crianças, o que se passa com o aquilo que fomos um dia. O mundo é bão, Sebastião, mas lembre-se, eu volto com um suspiro de medo!

Novas nuvens de poeira embranqueceram a escuridão do quarto. Apagou. Nada mais viu.


(*Inspirado na obra de Janusz Korczac.)

29 comentários:

CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) disse...

Que texto maravilhoso!

Não conhecia teu blog, é muito bem escrito, parabéns.

Realmente todos temos, mesmo que pequeno, um suspiro de saudade da nossa infância. =D

blog disse...

Filosófico e, para muitos, funcional.
Se me perguntassem, hoje, o que eu gostaria de ser, diria - sem titubear -: ser criança.
Mas, claro, com um adendo: sê-la sem a opressão da realidade.

Gostei do texto.
Esse negócio de "Bão, Sebastião" é coisa daquele rapaz, Nando Reis, não?

Abraço.

Caroline Bigarel disse...

"Blog", não consegui acessar seu perfil, então... é sim, o titulo do blog foi inspirado na música do Nando Reis.

bjs

Anônimo disse...

caramba, blog muito bem feito!!

ta de parabens!

bjs

kédma danyele disse...

amei seu blog!!!!
muito legais seus textos tbm.....
parabéns
kédma
http://danyeleynad.blogspot.com/

Marco Antonio disse...

Minha primeira visita aqui... e uma belíssima primeira impressão.

Pe disse...

Historia linda e inpirado num autor que gosto muito Janusz Korzac

Nana Lopes disse...

Gostei do que vi por aqui. Parabéns pelo conjunto da obra!!

Som disse...

Quando se é criança não tem o peso da resposabilidade,preocupações, angustias... pelo contrário, quando se é criança nada importa, a não ser viver.
Seria legal voltar a ser criança, mas vc voltaria a crescer e virar a adulto novamente. O ideal seria não deixar de ser criança nunca e aproveitar a vida.
É a primeira vez que visito o seu blog, sei que receberá vários elogios, mas não tem como não dizer que seus textos são inteligentes e acima de tudo coerentes.

abraço!
http://www.somdosom.com/

Leandro Merlllin disse...

Minha primeira aparição em seu blog, e desde já virei sempre!!!

Parabéns pelos posts, muito bem escritos, realmente nos dá vontade de passar horas refletindo sobre os mesmos.

E quanto a esse, não fica por menos. Realmente a infância é marcante, principalmente pra essa geração que é violentamente rasgada da infância pra maturidade. . .

Enfim, meus sinceros parabéns!!!

Abraços!
Leandro Merlllin
http://www.olhardesaldejack.blogspot.com/

Codinome H disse...

Gostei do texto. É um bonito pensamento.
Mas voltar a ser criança não deve resolver todos os problemas, mas resgatar a pureza e a liberdade da infância pode ajudar as pessoas a serem melhores.

Kemp disse...

O final matou =)

Novas nuvens de poeira embranqueceram a escuridão do quarto. Apagou. Nada mais viu.

Parabéns!

Johnny M. disse...

Minha infância foi ótima, mas não gostaria de voltar ao passado. Quanto ao duende, eu já vi um. o.O

reflexões disse...

òtimoooooo!!!adorei a imagem, e a vontade de voltar a ser criança surgiu em mim!!!!!!

Jefferson Barbosa disse...

Eu fiquei com uma curiosidade:
"...eu volto com um suspiro de medo!" , tem continuação né? :)

Eliseu Antonio Gomes disse...

Caroline

Que literatura boa! No meu passado jamais imaginei essa realidade atual. O "bichinho" internet...

Sobre o assunto da postagem: Falo com os pés no chão. É preciso aproveitar cada momento. O infantil, a adolescência, a fase madura e a velhice.

Normalmente, olhamos para o passado com a noção de que ele sempre foi melhor do que o momento presente. Será verdade? Em termos. Só é melhor aos que não valorizam o AGORA.

Ser criança, adolescente, adulto e velho tem os prós e os contras.

A criança não tem responsabilidades das contas à pagar, porém, não é alguém com a glória da independência. O adolescente possui o vigor físico, mas mil interrogações, inseguranças, na cabeça. Por sua vez, o adulto chega às portas da independência financeira, conquista-a ou continua tentando, entretanto, precisa corresponder às expectativas da sociedade como cidadão, esposa /marido, empregado (a)... Enfim, o velho tem uma bagagem de experiências próprias importantes e ao mesmo tempo o peso da idade no seu corpo.

Para ter uma vida boa em todas as fases é preciso viver o presente de olho no futuro. Investir. Dinheiro, lembranças... Quem no passado colocou tapete vermelho para pisar o chão no presente não sente tristeza em pensar nos dias que se foram. Sente impulsos para estender o mesmo tapete para o amanhã.

Abraço.

Eliseu A Gomes
http://belverede.blogspot.com/

Nilza disse...

Muito bom Carol!!

Sua inspiração foi além da imaginação. Eu adaria conhecer um duende... :) Amo tudo ligado às crianças e sua doçura, tal qual este post tão bem feito ..fotos ótimas!!!!!!!
Beijos
Saudades

César Fernández disse...

Que coisa mais linda :)

adorei a 'música tema' do blog!

Teresa disse...

ahhhhhhhh arranja um duende desse aí pra mim, por favorrrrr

eu quero ser criançaaaaaa de novo, mesmo sabendo que não vai ser nada fácil, eu querooo

=*

Pocow Woolf disse...

Quando eu era criança, eu era dos mais comportados, por isso que hoje, não gosto de crianças sem educação. Criança bonita é criança educada.
Aliás, se aparecesse um duende desse eu pediria o direito de ter no mínimo mais 10 pedidos.

chico, the beaver disse...

Texto imbátivel, inabalável. Um tema apelativo que tinha tudo pra ser clichê, mas mostrou-se maravilhosamente bem desenvolvido :)

Rafael Portillo disse...

Por mais que a vida de adulto nós faça sofrer, nunca trocaria a chance de estar com o meu filho por qualquer infancia.

http://rafaelportillo.blogspot.com/

Gracy disse...

que lindo mossa..
realmente parece que quando vamos crescendo paramos de nos admirar com as coisas mais belas, que são no caso, as mais simples...a gente começa a achar que entende tudo, que compreende, quando na verdade acabamos nos tornando peças amargas sei lá

Alf. disse...

Eu era que estava com saudades (não estou mais... sou mau ou seria mal?)

rsrsrsrs... que bom que ta de volta atualizando em... nossa muito tempo...


bom, um bjo e um abraço! o/

Andrea de Lima disse...

eu tenho certeza de que me daria super bem sendo criança novamente!

até mais ler.

Teresa disse...

Não sei porque, mas lembrei de uma parte de uma música que engenheiros do hawaii, que diz: "Hoje os ventos do destino começaram a soprar, nosso tempo de menino foi ficando para trás, com a força de um moinho que trabalha devagar vai buscar o teu caminho, nunca olha para trás. Hoje o tempo voa nas asas de um avião, sobrevoa os campos da destruição, é um mensageiro das almas dos que virão ao mundo... depois de nós."

Milton disse...

Muito legal este texto!!!
Nós adoramos!!!
2S MILTON e SABRINA

MILTON e SABRINA disse...

Muito legal este texto!!!
Emocionante!!!
Nós adoramos!!!
Parabéns!!!!

bla disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.