terça-feira, 6 de julho de 2010

A soma dos quadrados dos catetos...blá blá blá



Ai, ai... Voltando de uma prova muito difícil na faculdade: Matemática Financeira. Se até Dostoievski achava a Matemática algo desprezível, por que é que eu vou gostar e, principalmente, entender? Dessa vez acho que vou passar raspando. Coisa ruim essa: dá a sensação de que não se estudou nada, quando na verdade você até se matou de estudar, perdeu noites de sono, descabelou-se horas à fio tentando entender complexos organismos numéricos que se estendiam na sua frente. Bom... tá bem, pode não ter sido assim, mas foi mais ou menos desse jeito. Quero mesmo é distância desses números que sempre me atordoaram, desde a minha mais tenra idade. Traumas de notas escolares, infindáveis recuperações, vermelhidão profunda nos boletins. Normalmente esse é o mal de quem gosta de português e de escrever. Sorte com as palavras, azar com os números e vice-versa...

Aliás, falando de faculdade e tal, taí uma coisa que nunca pensei em fazer. Na verdade, resolvi me matricular no ensino superior apenas por pretensões futuras na minha carreira, mas não imaginava como é legal ser uma universitária. Primeiro porque você percebe que sempre existirá algo novo para aprender e que o pouco que você sabe ou, sabia, realmente era muito pouco mesmo! Eu faço Administração de Empresas e trabalho dentro dessa área na Aeronáutica. Um exercício diário de burocracia e papéis. É preciso tomar um chazinho de paciência todos os dias – coisa que se acostuma - muito mais por força do hábito do que por extrema paixão pelo ofício. E se me perguntam se é realmente uma administradora o que eu quero ser, talvez eu responda que sim pelos meus planos futuros de oficialato, mas responderia que não, porque ainda não estarei satisfeita se não fizer uma faculdade de Jornalismo. E, se devagar se vai ao longe... É, um dia eu chego lá.

E você, leitor? Faz faculdade? Pretende fazer alguma?

4 comentários:

Fabiano disse...

fazer escolhas profissionais não é algo fácil. mas quando se encontra o caminho certo tudo fica mais fácil.
sou professor de ed. fisica e amo o que faço.

Fabiano disse...

fazer escolhas profissionais nem sempre é uma tarefa fácil. mas quando fazemos algo com amor tudo fica mais prazeroso.
sou prof. de ed. fisica e posso garantir que amo o que faço.

Daniel Silva disse...

ainda bem que eu fiz jornalismo, pra me manter distante das contas e da terrível matemática! hahaha

abraço

2 Brothers News! disse...

Exato, quem é amante da escrita, sempre tem um pé atrás com enormes expressões numéricas para se resolver, tive sorte, pois sempre gostei de ambas as partes, porém, tenho certo ódio de algumas partes em português, como em matemática, é um verdadeiro jogo de amor e ódio no meu caso, porém possuo um grande sonho em minha vida que ainda desejo realizar, lançar um livro. Quem sabe um dia!

E escolha profissional como disse um comentário acima, é algo realmente frustrante! Isso é um fato, porém nada que seguir o que seu coração disser isso sempre resolve! Boa sorte!