terça-feira, 24 de novembro de 2009

Alma Legendária



Olhares pousados nesse vídeo que hoje é motivo de saudade. E surpresa boa! Todo mundo se lembra bem da época de escola, aqueles tempos em que nossa maior preocupação era apenas estudar e nem sequer percebíamos o quanto isso era bom. Depois que esse tempo passa, ficam apenas as saudades. Lembranças dos amigos, professores, inspetores. E é aí que de repente a gente se depara com um vídeo na internet e sente o coração apertar. Eu não cursei meu segundo grau em escolas ditas normais. Foram quatro anos na Fundação Osório, escola que faz parte do Sistema Colégio Militar do Brasil, situada no Rio Comprido, RJ. Uma Fundação comandada pelo Exército, rígida em seus costumes, que exigia muita dedicação nos estudos e criada inicialmente como Orphanato Osório, para abrigar as filhas órfãs de militares que morriam em combate, uma vez que o Colégio Militar do Rio de Janeiro permitia apenas o ingresso masculino em seu corpo. Hoje, as duas escolas são mistas e, quando passo perto dela, nos dias atuais, percebo o quanto aquele lugar cresceu. E quando vejo crianças tão pequenas carregando a responsabilidade daquele uniforme, sinto-me confiante nas gerações futuras. Eu não teria coragem de assistir uma formatura do corpo de alunos da Fundação, os “Cadetes de Osório”. Acho que não suportaria. Passei por muita coisa naqueles quatro anos e, embora tenha passado a maior parte do tempo numa felicidade quase despercebida, algumas lembranças não são tão boas. Entrei nessa escola pela minha admiração acerca do militarismo e, muitos colegas que se formaram comigo estão trilhando caminhos pelas Forças Armadas do Brasil. Outros, todavia, seguiram caminhos diversos, uma vez que não se adaptavam aos tradicionais costumes escolares. Eu sinto saudades das formaturas, das broncas do Cel Melquíades e de quando ele fazia todo mundo cantar o Hino várias vezes até que ficasse bom. Sinto por não ter permanecido mais tempo no Bandeirante, teria aprendido coisas muito úteis para o que hoje sou: militar. Os sonhos que comecei construindo nas alamedas desta escola se tornaram frutos na Força Aérea Brasileira. E, coincidência ou não, no Distrito FO, eu pertencia ao grupamento Águia Altaneira, Equipe Condor. Quando assisti esse vídeo, me deu uma vontade enorme de pisar naquele lugar, mas se algum dia eu lá retornar, será mesmo para agradecer aos instrutores que um dia me ensinaram a encaixar a boina na cabeça corretamente, que me fizeram desejar a insígnia da Legião de Honra, que me fizeram ter orgulho de vestir aquele uniforme que sobressaía sobre qualquer outra escola no Rio de Janeiro, que nos amenizaram as rixas com o Colégio Militar. Foi preciso muitas advertências na caderneta, algumas quedas em formaturas longas, além de Ordem Unida e Disciplina Consciente para entender que aquilo que se leva dessa vida é a vida que a gente leva. Quantas lembranças... Saudades eternas no coração de uma aluna.

E que as novas gerações vibrem por entre os Pavilhões Epitácio Pessoa e Marquês do Herval, afinal, é mesmo como dizia a nossa canção...

(Foto retirada da Web)

"À Osório a certeza
de saber que do passado
ficará em nossa história
o teu nome, firme, gravado!"

5 comentários:

Ingrid Raíssa disse...

AF nem tenho saudads da escola ¬ afinal ainda estou nela ; aushaushauh'
mas acho q qndo sair nao vou sentir mtas saudads não...
kkk'
e certamente vc é uma guerreira, pois eu nao aturaria uma escola rigida !
mto bom seu blog ;
bjos !
passa lá : ingridraissa.blogspot.com

Chupadores de Pirulito disse...

certamente vc é uma guerreira, pois eu nao aturaria uma escola rigida !

Dri Viaro disse...

Olá, passei pra conhecer seu blog, e desejar bom fds.
bjsss

aguardo sua visita :)

Dri Viaro disse...

Olá, passei pra conhecer seu blog, e desejar bom fds.
bjsss

aguardo sua visita :)

Dri Viaro disse...

Olá, passei pra conhecer seu blog, e desejar bom fds.
bjsss

aguardo sua visita :)