sábado, 19 de janeiro de 2008

São Sebastião do Rio de Janeiro

- Ele é Capitão da Primeira Corte de Guarda, então creio, Diocleciano, que seja ele um bom homem.
- Seguiu os caminhos do nobre pai, com uma exceção, é cristão.
- Ignoro a sentença. Sebastião é muito dedicado no que faz. Que importância tem em ser ele cristão?
- Escute bem, Maximiliano. Não me restam dúvidas de que Sebastião é um bom homem, mas não poderemos mantê-lo na guarda da Corte sendo um Cristão. Ele tem tido uma conduta branda com os prisioneiros que se declaram igualmente cristãos, é um traidor, veja bem, sentenças são sentenças e prisioneiros são prisioneiros. Sebastião jamais entenderá.
- O que fará então, Diocleciano?
- Mandarei que se preparem flechas. Amarrem-no bem e possuem a minha ordem para executá-lo.


***
- Onde estou? Quem és tu?
- Chamo-me Irene. Tu estavas na encosta de um rio, quase desfalecido, com o corpo encravado de flechas. Cuidei para que ainda lhe cultivasse a vida. Em poucos dias estará tão são quanto tenho certeza que deverias estar antes de seres atacado. Aconselho-te a fugir para bem longe.
- Não. Irei ao encontro de Diocleciano. Falarei de sua crueldade e o censurarei. Agüentarei as conseqüências. Sou—lhe grato por me restabelecer a vida, pois assim poderei dizer tudo o que não me foi permitido.


***
- Mas co - como? Estás vivo? Julgava-o morto, comido pelos vermes da terra ou peixes do mar.
- Ninguém morre sem ter cumprido a sua missão, Diocleciano. Vejo que estás estarrecido com a minha imagem, não me importo em morrer, mas antes devo dizer-te que falsos são teus Deuses e que um dia dar-se-á conta disto.
- Vou pedir a Maximiliano que cuide de ti. Será vexatório para ti, um Comandante morrendo a pauladas, mas é a morte que escolheste por seres traidor.


***
- Lucila. Sou Lucila. Não posso vê-lo jogado a esta fossa, não morra, Sebastião.
- Conceda-me um único favor, Lucila. Encontro-me a caminho da morte e mal posso me mover. Leve-me para a catacumba dos cristãos.
- Farei o que me pedes. Vá com Deus, Sebastião.


***
Vinte de Janeiro comemora-se o dia de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro. Embora eu ache sempre que as histórias envolvendo santos acabam pregoando as mesmas idéias e, como não ouso julgar a veracidade delas, fica claro que Sebastião mereceu o título, não por pregar até a morte o seu Deus, mas pela aceitação com bravura e coragem de morrer por um ideal (seja ele qual for, mas que acreditava). Apesar dos pesares, o Rio é minha terra natal e, mal ou bem, pelo menos em belezas naturais, continua sendo maravilhosa, ainda que eu não faça muita questão de permanecer nela por muito mais tempo (E que o Santo não me ouça!) e que continue abençoando-a porque é preciso !

Deu-se aos céus uma trovoada estrondosa quando terminei este post. Teria sido isso uma tentativa de contato? Acho que Sebastião não gostou...

10 comentários:

Pocow Woolf disse...

Legal, aqui na minha cidade amanhã dia 20/01 será feriado pois o padroeiro também é são Sebastião.

Fernando Assad disse...

Olá!

A morte não é apenas o último suspiro, a morte é viver. Se dedica-se a vida à algo, também se está morrendo por aquilo. E, como explicitado no post, não há morte sem se completar toda a missão.
Belo post! Parabéns pelo blog!

Abraço! (http://novelodigital.blogspot.com)

Matheus disse...

Muito massa... ae Acho que aquela trovoada e um conto hem!!! rsrsrs... Parabens Blog legal!!

Mazinho disse...

muito bom seu blog moça...
parabens...
fica com Deus e tudo de bom viu...


http://bombadigital.blogspot.com/

Gabriel Sioli disse...

Não sou carioca e nunca visitei o Rio, mas acho que o Rio de Janeiro deva ser um lugar bom de se viver. Apesar da violência mostrada todos os dias na TV, a cidade merece levar o título que leva: cidade-maravilhosa... Parabéns pelo post e tudo de bom!

Ricardo Luiz disse...

Confesso que não sabia dessa estória... Apenas que São Sebastião fora morto a flechadas... (e ele nem morreu disso)...

Bom, acho que ele tb deve ser o padroeiro de teu blog... "O mundo é bão, Sebastião"!

Um beijão, e um ótimo domingo!

Nilza disse...

Puxa carol!!

Como vc está amadurecida em seus sentimentos, estou deveras impressionada. Escrever bem vc sempre fez, mas o exercicio da força, determinação e garra lhe fez muito bem.

Parabéns pelo belíssimo post.

Beijos amiga

Teresa disse...

Ahhhhhhhh mas o Rio é liiiindo demais
não vejo a hora de voltar novamente ao Rio

e que São Sebastião continue abençoando essa cidade

=*

Gracy disse...

ai que triste a historia dlee

Teresa disse...

caramba, é mesmo agora é "O mundo é bão, sebastião" hehehe vou mudar lá o link

=*