terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Vômito

Vomito sentimentos, não palavras. Não sei vocês, mas quando criei um blog, foi na tentativa de transpor para o papel tudo aquilo o que eu jamais diria para alguém cara a cara. Chego a acreditar piamente que devo ter decepcionado algumas pessoas que me conhecerem primeiro pelo blog e depois pessoalmente, caso pensassem que eu seria igualmente verborrágica.

A verdade é que eu observo muito mais do que argumento. E não pensem que isso é vantagem alguma, não é. As pessoas observadoras são tidas como taciturnas, metidas, esquisitas, mas sem dúvida nenhuma, com um grau de benevolência muito maior do que os efusivos. Não ganho nada em ser benevolente e nem acho graça na minha timidez que já foi problema na infância e que às vezes ainda me atrapalha, mas também não posso afirmar que gostaria de ser a espontaneidade em pessoa. Gosto de gente estranha, elas sempre têm algo de misteriosamente fascinante.

E assim sigo vomitando em letras tudo aquilo que permanece entalado na minha mudez necessária. Digo o que precisa ser dito e vou aprendendo com os efusivos que deixam passar despercebido as infinitas histórias que rodeiam cada olhar. E de quê mais é feita a vida, senão de histórias ? Te já !

13 comentários:

Fire disse...

Nossa! Eu tbm criei meu blog com esse intuito!

É difícil falar de sentimentos, é bem mais fácil senti-los...

Sou espontanea, descarada até, mas quando se trata de amor, meu coração fala e minha voz irritante se cala...

Adorei teu blog!

Beijos

rodrigocherene disse...

precisamos usar menos as palavras para falar


paz

Delírios da Del disse...

Adorei o blog e a forma com que ele é escrito.

;D

Muito legal.

Ricardo Moreira disse...

Põe tudo pra fora!!!!

Kléber Tanide disse...

Muito bom seu blog, textos ótimos...
O blog é uma ótima maneira de fugir do mundo lá fora.
Curti mesmo!


Sucesso!

blog disse...

Efusões, em muitos casos, têm vantagens. Em outros, criam constrangimentos.
O mesmo é dito para a soturnez.
Depende de quem vê; nunca de quem é.
Infelizmente.

Rafael Portillo disse...

Você vomita palavras. Meu cerebro vomita ideias. Mas tem gente que tem uma diarreia mental...

Caroline Bigarel disse...

E como tem! hahauhau...

Adilson Jorge disse...

Observe e post, Carol. O blog é para isso mesmo. A blogosfera é maravilhosa!

O início de seu post "Vomito sentimentos, não palavras", lembrou-me o Caeiro, o mais feliz do Fernando Pessoa, dizendo: "Não guardo rebanhos. Mas é como se os guardasse".

Tenha isso como um elogio, viu! rs

Beijos
http://blogonews.blogspot.com

Rafael Portillo disse...

Com certa, trocamos links!

Tatty disse...

Adoro isso...vomito!
Uma vez sem qrer falei algo em um momento indevido.Nd demais, apenas em hr errada...e neste momento usei esta expressao: "´desculpa, mas saiu como vomito, foi incontrolavel!" E acredito que as palavras AS VEZES são assim...incontrolaveis!

Nilza disse...

Ihhhhhhhhhhh Nem me fale em vômitos, pq sempre que sinto algo errado ...pronto lá vem ele!! rsss

Mas, estou feliz por ter ido lá e vim lhe ver!! Amei, assim como gosto de tudo que vc escreve.

Acho que sou o meio termo: se fico á vontade falo, rio demais - sou expansiva. Se não me sinto - exatamente o contrário acontece. Sou uma ostra.

Mas, a gente vai aprendendo sempre.

beijos

Johnny M. disse...

O grande problema da timidez é quando ela impede de fazer coisas importantes e a pessoa fica se remoendo de arrependimento por conta disso. No mais, a timidez é até bastante charmosa.